quinta-feira, 19 de setembro de 2013

Pingo de chuva na flor.

A TARDE CAÍA, O CÉU ESTAVA COBERTO DE NUVENS ESCURAS.

DAVAM RELÂMPAGOS E TROVÕES QUE ESTREMECIAM A TERRA! O VENTO SOPRAVA ENFURECIDO COMO U LOUCO, AS ÁRVORES INCLINAVAM-SE DE UM LADO PARA OUTRO.


DE REPENTE, OUVE-SE U RUÍDO NO TELHADO: ERA A CHUVA QUE CAÍA PESADAMENTE. CHEGA A NOITE E A CHUVA CAI...


NO DIA SEGUINTE, PAULINHO LEVANTOU-SE E ABRIU VAGAROSAMENTE A JANELA DE SEU QUARTO. OLHOU PARA A LINDA FLOR AZUL QUE HAVIA ABAIXO DA JANELA, ONDE HAVIA UM LINDO PONGO DE CHUVA, QUE BRILHAVA COMO UMA PEQUENA PEDRA DE DIAMANTE"

Autoria: Marcio Almeida, em 1967 (então com 9 anos de idade) 
Publicado no jornal O Semanário Carmense, de Carmo do Paranaíba, em 22 de setembro de 1968.

Nenhum comentário: