sábado, 26 de setembro de 2015

A história de Adão e Eva.

Depois de fazer o céu, a terra, o mar, as plantas e os animais, Deus resolveu fazer uma experiência com gente! Então, pegou no chão um punhado de barro, dividiu em partes iguais e com uma metade fez um homem, com a outra metade fez uma mulher. Chamou o homem de Adão e a mulher de Lilith e deixou o casal num lugar muito bacana, que Deus deu o nome de Jardim do Éden.
Três dias depois, a Lilith já estava se encrencando com o Adão! Disse que ele estava se achando, que ela já estava cansada dessa vida de ficar sempre por baixo e que queria ser a chefe da casa e ponto final! Toda cheia de pose, avisou que se ele não concordasse, ia se mandar!  Adão ficou meio triste, mas pensou:
- Quem sabe, com o tempo ela conserta!
Que nada! Na semana seguinte a vizinhança já comentava que, ao invés de ir pra faculdade, a Lilith pulava a cerca do Éden e ia comprar sapatos e bolsas, além de dar umas escapadinhas nas baladas, onde enchia a cara de caipivodca e se esbaldava com os carinhas metidos a anjos da noite.
Adão ficou ainda mais triste e tentou discutir a relação com a Lilith. Mas a coisa só piorou! Ela veio com um monte de mentiras esfarrapadas, chutou o pau da barraca e se mandou de vez para o outro lado com a galera, deixando o Adão sozinho.
Deus vendo Adão naquela situação, se ofereceu pra fazer outra mulher. Tirou uma de suas costelas - avisando que não se preocupasse pois nasceria outra no lugar - e com essa costela fez uma linda mulher, tranquila, companheira, carinhosa, dedicada, honesta e trabalhadora, à qual Deus deu o nome de Eva.
A história poderia ter acabado aqui com o clássico "E viveram felizes para sempre"! Mas, quem disse que a Lilith deu sossego! Ela que a esta altura andava meio largada, pois os tais anjos já estavam atrás de outras novinhas, vendo a felicidade do Adão e da Eva, resolveu infernizar pra valer. Começou a fazer intrigas e fofocas, forjava denúncias falsas contra Adão e contra a Eva, postava insinuações levianas no Facebook e tentava, por todos os meios, perturbar os dois. Mas eles não estavam nem aí! Continuavam felizes no Jardim do Éden, que estava ainda mais bonito, pois a Eva, muito caprichosa, tinha feito uns arranjos de Orquídeas de várias cores que colocou por todos os cantos!
Incansável, a Lilith resolveu dar uma cartada definitiva. Fantasiou-se de cobra e ficou em cima da árvore proibida provocando a Eva:
- Oi, linda! Venha, querida! Experimente o sabor do fruto proibido! É uma delícia! Você vai A-DO-RAAAAR!
Mas a Eva, desconfiada daquela cobra com jeito de piriguete, não se deixou levar pelo lero-lero! Foi comentar com o Adão sobre aquela estranha em cima do pau e os dois riram muito. Depois foram pro Mercadão comprar maçã, uva, camarão, arroz arbóreo e uma boa garrafa de Cabernet Souvignon pra comemorar o feriadão, só os dois juntinhos!
E o que foi feito da Lilith?
Bem! Diz a lenda que ela continua revoltada até hoje, infernizando as mulheres honestas, bem amadas e felizes. Faz de tudo pra acabar com os casamentos bem sucedidos, seduzindo os maridos e espalhando fofocas, usando, inclusive, os seus vários perfis fakes mantidos nas redes sociais.
Quando os casais bem casados têm filhos, dizem que ela costuma assombrar as crianças à noite em seus quartos, provocando pesadelos ou transformando os bonecos delas em duendes que fazem careta, só pra causar o choro e interromper o afeto e a troca de carícias dos pais.
Por causa disso, essa Lilith infeliz sempre foi associada às trevas e à escuridão. Durante o dia ela se esconde no lado escuro da lua, onde tem residências num castelo horroroso, desde que foi enxotada da vizinhança do Jardim do Éden.
E todos os casais que têm criança pequena devem manter sempre uma placa sobre o berço do filho com as palavras "Lullaby", que significa "LILITH, VÁ EMBORA DAQUI", como forma de espantar a perversa.
É por isso que a música de ninar mais conhecida no mundo tem justamente este nome "Lullaby".


* Marcio Almeida é Engenheiro Mecânico e Engenheiro Industrial, Administrador de Empresas, MBA em Gestão Governamental e Ciência Política, Especialista em Direito Administrativo Disciplinar, pesquisador autodidata em Antropologia e HIstória da música, Meio-Maratonista, ex Diretor de Auditoria Legislativa e ex Presidente de Processos Disciplinares na Administração Federal Brasileira, M∴M.
...
Fonte: https://pt.wikipedia.org/wiki/Lilith

Um comentário:

Márcio Almeida disse...
Este comentário foi removido pelo autor.